Arquivos
Ver arquivos anteriores

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Palavras Alheias
 Saudade do Papel
 Madame Mim
 Ponta da Caneta
 Canteiro de Obras





Verdades ou Mentiras
 


Uma boa manhã

Outra manhã seca
Cinza, tola e sem ar
Outra semana idêntica
Com a vida em círculos
Voltas no mesmo lugar

Turbilhão que me sufoca
Sem direção, sem consciência
Sem forças e sem ar
Começa outra manhã.
Cinza, tola, idêntica
Seria uma boa manhã para me matar.



Escrito por Agg às 11:33:30
[] [envie esta mensagem
]





Quanticamente

Me acho no tempo, espaço!
Verdade, realidade?
Sou partícula!

Não mais, viajo!
Sou onda!
Onde estou?

Olho fixo!
Escolho a possibilidade,
Sou partícula
Presa no crucifixo
do tempo espaço,

Sonho!
Sou onda,
Em todo lugar
Somos eus,
Em nenhum lugar,

Sinal particular,
Não, não escolho,
Prefiro ser deus sob o luar.



Escrito por Agg às 14:15:45
[] [envie esta mensagem
]





Recomeços

Venho devagar como uma marola
Ergo-me na incerteza
Ganho força
Mas me desfaço na areia
Sem dor, sem ressentimentos
Calmamente,
Sei quer tudo tem início, meio e fim...
E recomeços!

 

 

 

 

 

 



Escrito por Agg às 15:29:08
[] [envie esta mensagem
]





Medo

Que medo das palavras,
dilaceradas e perdidas no todo,
sem arranjo, sem vida, sem nexo.

Que medo do recomeço,
sem rumo, sentido ou mundo,
a dor passa, a ferida fica.

Que medo, que nada,
A vida continua, com ou sem rumo,
só me resta um bom trago, algum afago.

C'est la vie!



Escrito por Agg às 12:15:52
[] [envie esta mensagem
]





A Pedra

Esse texto não é meu, é mais um daqueles que vocês recebe na internet e não sabe quem é o autor, mas como gostei, resolvi publicar aqui no meu cantinho!

A Pedra
O distraído nela tropeçou;
O bruto a usou como um projétil;
O empreendedor, usando-a, construiu;
O camponês, cansado da lida, dela fez assento;
Para as crianças foi brinquedo;
Drummond a poetizou;
Com ela Davi matou Golias;
O artista fez dela a mais bela escultura...
Em todos os casos, a diferença não era a pedra,
mas sim o homem!



Escrito por Agg às 10:54:58
[] [envie esta mensagem
]





Que sono!

Que sono!

Sonolento como uma preguiça
Chega devagar, me deixa catatônico
Não sei o que fazer
Aperto minhas mãos
Esfrego minha testa
continuo paralisado
o feitiço parece aumentar
toco uma música calma
e me entrego ao topor
me envolve
me mata aos poucos
para despertar mais forte
na próxima manhã!



Escrito por Agg às 11:25:51
[] [envie esta mensagem
]





Procura-se um Sol

Sol da vida,
Sopro de prana,
Move o mundo

Amanhã

Sol da morte,
Sopro quente,
Varre o mundo

Sol em pedaços
Explodiu
Lançou
Sumiu do espaço

Terra sem eixo
Mundo sem centro
Sai pela tangente
Terra azulada
Agora és cinza
Congelada

Não há manhãs
nem amanhãs
O poente se foi

Procura-se um Sol.



Escrito por Agg às 09:04:39
[] [envie esta mensagem
]





Hectacombe

Sapos aleijados rastejam pelo chão
Ruas desertas
Cobertas de escombros
Plúmbeos corpos reluzem
Aos raios de sol que
Insistem em atravessar a camada de poeira
Hectacombe nuclear, uma luz, abriram a caixa de pandora
Quem viu, não mais vê,
Quem sentiu, não mais sente,
Não há barulho, e sim, lamentações murmuradas
moribundos aos pedaços, atravessados em lajes,
fundidos ao chão
Examino um deles
relógio rederretido no pulso
marcando a hora exata
9:17
Acabou o mundo
Um corpo a frente
Parece familiar
Olho para ele
Semblante em paz
Tranquilidade na tragédia
Cai a máscara
Eu estou lá, desfigurado
Não tem ninguém,
todos mortos, eu, você e ele
Todos iguais, sem carne e sem cor!



Escrito por Agg às 12:11:24
[] [envie esta mensagem
]





Alvo Papel

Alvo papel
Invadido por letras insossas
Dedo de prosa
Dedo de moça

Já és verso
Formas rimas ou não
Medes o tempo da ação
Perdes o fio da meada

Caos de palavras
Caídas no abismo
Mais uma folha arrancada
Amassada
Jogada
E calada
No cesto de lixo.



Escrito por Agg às 11:26:29
[] [envie esta mensagem
]





Ontem a noite olhei o céu

Ontem a noite olhei o céu
Quando menino olhava mais
Via estrelas
Tentava contar
Via desenhos
Discos-voadores
Estrelas cadentes até
Monstros e deuses

Ontem a noite olhei o céu
Sabe o que vi?
Estrelas em desenhos
Cadentes ou não
Discos-voadores
Vi mais monstros e menos deuses

E sabe o que mais
O céu sempre esteve lá
O que faltava
Era um olhar.



Escrito por Agg às 09:56:17
[] [envie esta mensagem
]





Um minuto

Um minuto
É tudo que peço
Não preciso mais
Não me interessa menos
São sessenta segundos
Nesse tempo curto
Falo minhas verdades
Escuto suas mentiras
Nesse tempo mudo
Lanço minhas mentiras
Colho suas verdades.
O que importa?
Só temos um minuto!



Escrito por Agg às 09:40:17
[] [envie esta mensagem
]





Mira a Morte

No começo nada havia
Mas ela se formou
Com o passar do dia
Ela se aconchegou
Começou o burburinho
Parecia uma festa
E ela engordou
apertou aqui, apertou ali
E ela se transformou
De cordão em corda
De corda em cabo
De cabo em horda
Não calou
Seguiu então a horda maldita
no começo tão bendita
gastando os segundos da vida
Na frente a horda
Há tempo de sobra
Cala e segue
gastando os últimos
segundos
de vida
ruma sem prumo
mas com certeza
mira a morte.



Escrito por Agg às 11:05:33
[] [envie esta mensagem
]





Quero ver o artifício dos fogos
Anunciar um novo ano
Mais um, de vários já vividos
e de outros que estão por vir

O que o torna diferente dos outros?
É o momento vivido, o presente
Não é o futuro longínquo
Ou o passado remoído
São as oportunidades do agora
Esse é o verdadeiro presente

Por isso Feliz Ano Novo
Com todas as oportunidades
Que ele trará!

Férias de mentira - volto logo



Escrito por Agg às 12:23:30
[] [envie esta mensagem
]





Quem está?

Presente no ar
Na terra, no mar
Dentro de crianças adultas,
De velhos, padres e putas
Doentes febris
Pães, doces e frutas
Em atletas formosos
Animais asquerosos

Muda de cor
Escorre entre areia e britas
Escapa em vapor
Imita formas

Água bendita.



Escrito por Agg às 12:26:27
[] [envie esta mensagem
]





Estou ateu,

Se doer que doa por si
Profunda e calmamente.

Sem culpados ou razões divinas
Sem códigos ou conchavos
Sem símbolos ou exemplos.

Cansei,

Pregações sem fim com exemplos retóricos
Diria impróprios, por fim,

Estou ateu.



Escrito por Agg às 11:03:46
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]